quinta-feira, 14 de julho de 2011

OLÉ NA ZICA

A Seleção Brasileira entrou em campo nessa quarta-feira sob uma enorme desconfiança e desdenho de certa parte dos torcedores. Alguns pediam uma possível desclassificação para que no final de semana a rodada do Campeonato Brasileiro não fosse adiada por conta da fase de quartas de final da Copa América.

Neymar, Robinho e Pato chamavam a atenção de uma forma negativa. O primeiro não repetia as atuações que lhe consagraram em torneios disputados pelo Santos. Seu ex-companheiro não teve boa atuação na primeira partida e foi sacado no empate contra os paraguaios. O terceiro jogava em uma posição errada e não estava rendendo o esperado.

Mano Menezes enxergou falhas em outro setor do campo e propôs a alteração de Daniel Alves por Maicon. Robinho recebeu nova oportunidade e foi para o jogo calado e com fome de bola.

Maicon veio a campo trazendo as costas o número treze, número emblemático para a Seleção do Brasil. Zagalo sempre trazia muita superstição em relação ao número. Para os mais supersticiosos poderia significar mais zica, falta de sorte e a tão temida desclassificação.

O início da partida trazia mais desconfiança, o Brasil não conseguia furar o bloqueio equatoriano e insistia nas jogadas pela lateral direita. Varias jogadas foram construídas pelo setor, mas sem levar muito perigo ao gol do adversário. 

O Equador exercia uma disciplina tática fora do comum, tocava bem a bola, todos esperavam o Brasil e faziam uma marcação setorial, que estava dando certo. O Brasil esbarrava na forte marcação e errava muitos passes, o que em alguns momentos quase resultaram em contra ataque. 

Durante o dia os equatorianos declararam que ganhar do Brasil seria uma utopia, uma ilusão. Mas quando começou o jogo, isso ficou longe da realidade, não foi nada fácil para o brasileiros.

E alguns momentos da partida, quando o Equador tocava a bola, se ouvia uma Olé, olé... das arquibancadas.

O primeiro gol saiu quando o Brasil inverteu o setor. De tanto insistir pela direita sem resultado positivo, o jeito foi mudar o foco. E em jogada pela esquerda, André Santos faz belo levantamento para a área que encontra Pato, que entrou com velocidade e de frente, para testar e marcar o primeiro gol.

Parecia que o Brasil havia se encontrado, mas se desencontrou no minuto seguinte. Julio Cesar deixa passar um chute despretensioso e toma uma verdadeiro "frango sem asa". Pronto! A desconfiança voltou!

Acho que no vestiário o bicho pegou! Logo de cara, no início do segundo tempo, o maestro "Gansócrates" dá ótimo passe para Neymar marcar o segundo gol brasileiro. Mano Menezes parecia pressentir que ainda não era suficiente. Nem comemorou!

Beleza! Deve ter pensado a torcida brasileiro! Só que ainda tinha mais sofrimento pela frente e Caicedo marcou seu segundo gol na partida e deixou tudo igual.

Pronto! Chega! Será que a zica não ia acabar? Será que o Brasil ia depender de contas para se classificar para a próxima fase de uma Copa América? Não!

PATO E NEYMAR ACORDARAM DE VEZ

Tudo se resolveu! Ganso roubou a bola da classificação no meio campo, achou Neymar. O jogador-calopsita invade a área e chuta. O goleirão bate-roupa e a bola sobra para Pato, que só tem o trabalho de empurrar para o fundo do gol. Pronto, o gol deu um gelo nos adversário e o Brasil passou a fazer seu jogo.

O Brasil tinha pleno domínio da partida e sua principais jogadas eram pelo setor direto, onde estavam Maicon e Robinho. Proporcionaram, principalmente o primeiro, uma verdadeira correria e ótimas jogadas de linha de fundo. Maicon sem duvida foi o diferencial dessa equipe, foi a melhor alteração de Mano.

Tanto é que o quarto gol saiu exatamente pela direita e de uma passe de Maicon, que encontrou Neymar no meio da área para marcar o quarto gol.

Maicon poderia selar sua ótima exibição com um gol, mas foi impedido pelo goleiro Marcelo Elizaga. Robinho chegou a marcar o seu, no entanto, o auxiliar marcou, erroneamente, impedimento.

Com a vitória sacramentada, conforme a seleção do Brasil tocava a bola, a torcida gritava:
Olé, olé, olé....

Com a excelente vitória, o Brasil se classificou em primeiro lugar no grupo B, com o melhor ataque e enfrentará os paraguaios na próxima fase.

Sai zica!!!!!

3 Comentários:

  1. Pra quem estava reclamando dos poucos gols na Copa América, dois jogos de seis gols numa só noite. Que coisa! Acho que agora o Brasil vai de vez! O Julio César tem crédito pra errar, o Maicon foi muito bem, e enfim os atacantes mostraram à que foram à Argentina!

    COMENTA AE: http://net-esportes.blogspot.com/2011/07/no-segundo-jogo-de-seis-gols-da-noite.html

    ResponderExcluir
  2. espero que na proxima fase faça bonito. O futebol apresentado na primeira fase foi muito ruim...

    ResponderExcluir
  3. Essa Copa América tá surpreendente. O Brasil que abra mais o olho.

    ResponderExcluir