domingo, 26 de fevereiro de 2012

EQUILÍBRIO NO CHOQUE REI

E aí galera Apaixonada por Futebol!

Nessa tarde de domingo ensolarada, Palmeiras e São Paulo fizeram o jogo de número 300 na história do choque rei e mais uma vez o equilíbrio prevaleceu. O empate em 3 a 3 foi o placar mais justo pelo que apresentaram as duas equipes. 

Os holofotes estavam direcionados para dois jogadores: Lucas, pelo lado do Tricolor e Marcos Assunção, pelo lado Verde. O garoto Tricolor preocupava os palmeirense por sua habilidade e velocidade nas investidas ao ataque. A zaga são paulina estava apavorada com o que vem apresentando o melhor cobrador de faltas do país, Marcos Assunção era considerado a maior arma de Felipão.

Vi uma entrevista de Leão que dava dicas de como minimizar as possibilidades de gol do time verde em bolas paradas. Dizia o comandante que a referencia de um batedor de falta é a barreira, então, a solução era tirar e deixar o cobrador sem ponto de apoio.

Acredito que Denis não viu a entrevista e sofreu o primeiro em falta cobrada por Daniel Carvalho. A barreira nesse lance serviu para atrapalhar o jovem goleiro.

Com o revés e sem jogador que se apresentasse para desequilibrar no ataque, pois Lucas e Willian José estavam presos na defesa verde, Leão pede para Cicero ir para a área e resolver. O jogador obedece e em passe de Casemiro, marca o empate para o Tricolor.

Pelo lado do Palmeiras as esperanças estavam sobre Marcos Assunção, mas quem brilhou foi Barcos, que marcou o segundo e o terceiro gol da equipe de Parque Antártica. No segundo gol, mostrou que é matador de verdade e veio para suprir essa grande necessidade de Felipão e carência palmeirense. Com muita calma, recebeu de costas para o zagueiro, fez o giro, ficou de frente para o gol, mas ainda teve tempo de dar um lindo drible em Piris antes de marcar. 

Já pelo lado Tricolor, tenho que destacar a ótima atuação de Fernandinho que entrou no intervalo no lugar de Jadson. Com a entrada do jogador velocista, o São Paulo equilibrou a partida e chegou ao empate com o pênalti sobre Cortês, que Willian José converteu e deixou tudo igual.

O jogo manteve uma ótima velocidade, o Palmeiras tinha mais posse de bola e tocava mais, o São Paulo investia em boas jogadas pelo lado esquerdo com Cortês e Fernandinho, Lucas continuava apagado.

Aos 26 minutos, Barcos marcou mais um em falha da defesa são paulina. Os defensores do Tricolor deixaram o atacante sozinho para marcar. Com muita calma, sua marca registrada, e com um toque simples, Barcos mostrou que os problemas do Palmeiras acabaram e gols não vão faltar.

Enquanto lá na frente, Barcos resolvia, a defesa não se entendia e Fernandinho se aproveitou dos erros defensivos e empatou pela última vez. O empate veio da melhor maneira possível, o atacante avança, não é pressionado por Marcos Assunção e chuta de fora da área, GOLAÇO!

Com o empate o Palmeiras mantém a invencibilidade e permanece em terceiro lugar na competição. O São Paulo é o quinto colocado, mas para permanecer na posição depende do jogo entre Oeste e Mogi Mirim. Caso o Mogi vença, o São Paulo cai para sexto.

Os destaques do clássico são as soluções das equipes? 
Pelo que apresentaram nessa partida podem ser considerados como soluções. Barcos é sem duvida a melhor opção para o ataque palmeirense, mas vai precisar de um substituto a altura, Fernandão não resolve. Fernandinho não pode ficar no banco Tricolor, não tem jogador melhor que ele entre os possíveis reservas. Jadson é um bom jogador, mas não resolve a necessidade do São Paulo e Lucas sozinho não faz verão. 

O que você acha? Deixe sua opinião!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

PAZ? CARNAVAL? FUTEBOL?

E aí galera Apaixonada por...

Futebol! Que é o tema principal desse blog! Mas hoje serei obrigado a sair um pouco do tema e falar sobre um assunto que não me chama a atenção, porém será destaque nos próximos dias, a baderna do carnaval. Sem desrespeitar a maior fonte de movimentação turística de nosso país, mas indignado com o desfecho de algo que não trás beneficio ao povo brasileiro (Veja o vídeo abaixo).
O investimento no carnaval é astronômico,  juntas as 14 escolas de samba do Grupo Especial investiram R$ 27 milhões para a montagem do Carnaval Paulistano de 2010. Considerando serem apenas três dias é possível afirmar que o carnaval é uma das mais caras montagens artísticas do mundo. 

Para não fazer feio no concurso, uma escola de samba do principal grupo do Carnaval investe perto de R$ 2 milhões, ainda que isso não elimine o risco de um rebaixamento de categoria que inevitavelmente é acompanhado por uma diminuição de suas possibilidades de atração de parceiros e patrocinadores, de acordo com o Censo do Samba Paulistano 2011.

Tudo isso para que no final algumas pessoas com más intenções transformem uma "festa" em um espetáculos de vandalismo e denegrindo não só a imagem do carnaval, mas também de nossa maior paixão, o Futebol. Sem contar que nossa imagem não é muito seria lá fora e com isso fica mais manchada ainda. Não duvido que logo mais veremos notícias vindas do velho continente dizendo belas palavras ao nosso respeito.

No domingo ouvi elogios a respeito das torcidas organizadas que compõem as escolas de samba do grupo especial. Flávio Prado, apresentador do Mesa Redonda, referiu-se a postura das torcidas Dragões da Real, Mancha Verde e Gaviões da Fiel em relação a conduta das mesmas nos dias de desfile. No entanto, esses elogios poderiam ser rasgados (como foram os envelopes da apuração) e jogados no fogo (como jogado em um dos carros alegóricos).

O clima já não era muito pacifico, representantes das escolas se reuniram com o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo para questionar e pedir a anulação dos votos que partiram de jurados substitutos. Questão levantada e não acatada pelo presidente da Liga. Esse já era um motivo para que não acontecesse a apuração, qualquer resultado seria digno de protesto e revolta de qualquer uma das escolas.

Durante a apuração dos votos dos jurados substitutos, a revolta de algumas escolas, dentre elas a mais visada, Gaviões da Fiel, que foi assolada com uma nota um tanto quanto estranha. Mary Dana, pontuava sobre Evolução e pontuou a Gaviões da Fiel com um 8,9. Estranho, não? 

Pior ainda é ver que as pessoas só enxergam a torcida Gaviões como o centro da confusão. Não estou defendendo ninguém, mas a confusão começou quando um representante da escola Império de Casa Verde, identificado como Thiago Silva Tadeu Faria, de 29 anos, invadiu o local onde eram lidas as notas e rasgou os envelopes durante a divulgação dos pontos do último quesito. Depois, alguns integrantes da Gaviões aproveitaram e colocaram mais fogo na confusão. Mas indiferente de quem seja a culpa, todos os envolvidos na confusão devem responder dentro do regulamento do carnaval, com a expulsão da agremiação a qual pertence.


Capítulo III – Da eliminação
III – Comportamento inadequado por parte de qualquer Dirigente ou Representante da Escola de Samba, devidamente identificado, na concentração, dispersão, durante o desfile ou na apuração, no sentido de pressionar, ameaçar ou agredir a integridade física ou moral de algum membro da organização, LIGA, comissões, jurados, componentes da própria ou de outra agremiação, ou, ainda, os prepostos e empregados da São Paulo Turismo. No caso de comprovação de tal comportamento, a Escola de Samba será sumariamente eliminada do concurso, com a consequente desfiliação, bem como, conforme o caso, sofrerá, ainda, as sanções previstas no Estatuto Social.

Para mim nada justifica o que acontece nesses três, quatro dias de folia e o mais deprimente, para nós Apaixonados por Futebol, é a ligação que fazem entre o futebol e essa festa!

sábado, 18 de fevereiro de 2012

RESERVAS DE LUXO!

E aí galera Apaixonada por Futebol!

Hoje o Corinthians foi ao Anacleto Campanella encarar a maior pedra no sapato dos últimos anos, o São Caetano é um adversário que dá frio na barriga da maioria dos corintianos. Todas as vezes que o jogo é diante do azulão, a sensação é de apreensão, na história do confronto o Corinthians havia vencido 10, o São Caetano 13 e quatro empates. Com isso, imagine qual foi a sensação de hoje, diante de um time B, onde provavelmente estariam desentrosados e sem ritmo de jogo?
 (Divulgação: GLOBOESPORTE.COM)
Quando a partida iniciou e o azulão disfarçado de Boca Juniors (pois entrou com um uniforme que lembrava o time argentino) foi para cima e antes do primeiro minuto obrigou Danilo Fernandes a praticar bela defesa, pensei: "hoje o Timão perde a invencibilidade". No entanto, a equipe está preparada e bem treinada, apesar das limitações, colocou a bola no chão e passou a tomar as rédias da partida.
São Caetano (esq) / Riquelme - Boca Jr. (dir)

Não foi uma partida brilhante, mas deu para perceber que no banco de reservas e na terceira opção têm jogadores aptos e qualificados para assumir a vaga dos titulares a qualquer momento. Vimos, também que, os que entram, chegam para manter o nível da equipe, sem que a torcida sinta diferença na qualidade do grupo. Não sei se essa sensação veio devido ao nível técnico do adversário não estar dos melhores.

Na única bola que foi para o gol, Danilo Fernandes mostrou reflexo e agilidade para tirar o que poderia ser o primeiro gol do Azulão. As laterais estiveram bem servidas por Welder e Ramon, o primeiro precisa aprimorar o fundamento cruzamento, peca bastante, mas no demais, os dois foram muito bem.

Wallace é o substituto imediato na zaga e a chegada de Marquinhos, que veio da base, coloca mais um jogador com qualidade e firmeza para assumir a bronca. O garoto fez uma partida sem comprometer, quando a jogada pedia o chutão, chutava, quando permitia a classe, não decepcionava.

Na cabeça de área estavam Edenilson e, o recém promovido, Gomes, o primeiro já vem mostrando que tem qualidade e muito potencial, já o segundo conquistou a copinha e ganhou uma chance. Chance essa que agarrou com unhas (de gavião) e dentes, fez uma boa partida e deu segurança aos defensores. Na lista para a Libertadores foi o primeiro nome que me veio a mente quando me perguntaram se estava faltando alguém. Ralf não tem substituto e pelo que o garoto apresentou na copinha e na partida de hoje, mostrou que pode substitui-lo em caso de falta do melhor volante do país.

O melhor da partida, em minha opinião, foi o peruano Cachito Ramírez. Boa movimentação, bem pelo lado direito, bom toque de bola e, como sempre, levando muito perigo em arremates de fora da área. O meia supriu a má apresentação do maestro Douglas, que ainda não se enquadrou aos padrões do Timão. O maestro não fez uma boa partida, errou muitos passes, mas quando precisou acertar, acertou um belo passe e deixou Willian em ótimas condição para marcar o gol da vitória (o chute não saiu como queria, mas acertou o gol). No dia de seu aniversário, ele que deu o presente.

Willian foi, ao lado de Cachito Ramírez, um dos destaques da equipe alvinegra. Se movimentou muito bem, buscava o jogo, dava opção de passe e se tornou o homem da partida com o gol que determinou a manutenção da invencibilidade. O gol foi uma pintura pelo contexto da obra: ótimo passe de Douglas e Willian bate de primeira para marcar!

E o Adriano, jogou? O aniversariante do último dia 17, não fez uma grande partida, mas mostrou que tem muito a oferecer ao Timão e, também, que é o homem ideal para se fixar na área e explorar as jogadas como pivô. Antes de ser substituído e sair de campo ovacionado, se ofereceu para a tabela com Ramírez e a jogada quase resulta em gol do peruano.

Não foi uma apresentação de gala, mas a torcida reconheceu o empenho dos que estavam em campo e a cada substituição, os que saiam de campo recebiam uma salva de palmas. Douglas saiu e deu lugar para Vitor Junior mostrar que também está para servir a nação corintiana com qualidade. O meia entrou e deu trabalho para a defesa azul. Elton entrou no lugar de Adriano, mas não rendeu, tem vontade, mas falta técnica. Gilsinho foi usado apenas para consagrar o grande Reserva de Luxo, Willian sai para receber os aplausos da torcida.

Com a vitória, o Timão continua na cola do Verdão, empatado em número de pontos. O próximo adversário e a Barcelusa.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

SOFRIMENTO DESDE O INÍCIO!

E aí galera Apaixonada por Futebol!

Quem disse que torcer para o Corinthians é fácil? Quem disse que se ganha jogo na véspera?

Essas são mentiras que o corintianos vivem a cada ano que passa, e quando o assunto é Libertadores, o sofrimento fica mais agudo, traumático e não precisa esperar muito para começar a sentir.

Jogo que parecia facil, devido adversário não ter tanta expressão no ambito continental, mas que diante do Timão aprontou, poderia dizer cresceu, só que estaria mentindo. O time paulista foi a Venezuela encarar o Deportivo Táchira, parecia ser uma missão fácil, porém não foi isso que aconteceu.

Como pode um time começar um jogo com imponência, domínio de posse de bola, tranquilidade e sofrer um gol bobo sem que o adversário tenha chutado a gol? Sim! O Timão sofreu um gol sem que o Deportivo Táchira desse um chute ao gol. Gol sofrido em jogada que é muito usada pelo elenco alvinegro e com direito a mais uma falha de Júlio César.

Mesmo com o gol sofrido, o Timão continuou pressionando e logo em seguida acertou uma bola na trave em cabeçada do "sumido" Danilo. O jogador que a dias atrás acabou com o jogo diante do São Paulo, nessa noite de quarta-feira não jogou um quarto do futebol que lhe rendeu o reconhecimento de melhor e rei do majestoso.

No clássico, o lado esquerdo foi o mais elogiado, já diante do time venezuelano, a vez foi do lado direito. Alessandro, Paulinho e Emerson não fizeram um ótima apresentação, mas dos que estavam em campo, foram os melhores em termos de setor.

O placar do primeiro tempo foi injusto pelo que o time da casa apresentou, nada, apenas uma bola em direção ao gol, pois não posso considerar como um chute, foi um golpe de sorte dos venezuelanos ou uma falta de para os corinthianos.

O Timão começou o segundo tempo indo para cima dos donos da casa, mas a quarta-feira não era de sorte para os brasileiros (começando pelo Santos que sofreu a virada diante do The Strongets). O time da casa ganhava tempo a cada falta, escanteio, lateral ou tiro de meta a seu favor, a boa e velha catimba.

O Tite, pediu para que os reservas estivessem prontos até o decimo minuto do segundo tempo, pedido atendido e aos 11, substituição em massa: Liedson, Emerson e, pouco tempo depois, Jorge Henrique dão lugar para Elton, Alex e Willian, respectivamente. Elton mais fixo dentro da área se tornava uma boa opção, pois Liedson não deu trabalho para o time aurinegro; Alex passou a explorar sua principal jogada, pela direita, puxava a bola para o meio e tentava o arremate, sem êxito; Willian, deu mais movimentação, mas acredito que quem deveria sair era o Danilo, que não jogou absolutamente nada.

O desespero tomou conta dos corinthianos, mas a torcida estava lá para apoiar a equipe e isso é o que diferencia o Timão das demais equipes. Os pouco mais de 60 apaixonados pelo Timão, tentavam de forma abafada o incentivo aos que estavam no gramado. esforço compensado aos 48 minutos, quando Alex, em falta pela esquerda colocou a bola na cabeça de Ralf. O volante testou para o fundo das redes e decretou o empate para o time paulista. Gol do alivio, gol de guerreiro!

Gol que transformou um placar considerado em tropeço para um placar que dá moral e motivação para a continuação do Torneio. Um empate fora de casa, nessa fase, não é um mal resultado, mas pelo que o Corinthians apresentou, a justiça seria uma vitória alvinegra.

No aspecto individual da equipe tenho de resaltar as atuações de Ralf, não só pelo gol, mas pelo que apresentou em campo, incansavel. Leandro Castán também fez uma ótima partida e quase marca um gol em jogada que parecia de atacante.

O empate não era o esperado, mas pelas circunstâncias da partida, o sabor foi de vitória.

Deixe sua opinião sobre o resultado!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

POUPOU?

E aí galera Apaixonada por Futebol!

Um dia após as eleições no clubes definirem a vitória da situação através de Mário Gobbi, o Corinthians entrou em campo sem sua força máxima, poupou três de seus principais jogadores, visando minimizar os desgastes que o clássico majestoso poderia trazer. Alex, Emerson e Liédson não foram a campo para encarar o maior rival dos últimos anos, o São Paulo. Por outro lado, o Tricolor foi a campo com o que tem de melhor, entrou como favorito e com força máxima.
Divulgação: UOL
O clássico era encarado pela torcida como um termômetro, que determinaria as condições reais da equipe, que não apresentou bom futebol contra o Mogi Mirim, para o inicio da competição da América. Acredito que pensando nisso, o técnico Tite não entrou com sua força máxima. Digo isso por que se entra com a equipe titular e perde, sairia para a Venezuela com uma pressão muito maior do que se o revés fosse com o time misto.

No entanto, isso não foi encorporado pelos que estavam em campo, não deram espaço para o azar e proporcionaram para os 26.166 apaixonados por futebol presentes ao Pacaembu, um espetáculo do futebol. Com bom toque de bola, uma marcação implacável e com um lado esquerdo bem articulado, o Timão foi para cima do Tricolor e não deu espaço para os badalados: Lucas, Jadson (perdeu pênalti) e, agora, Willian José.

Quem comandou o jogo foi o maestro! Douglas que voltou? Não! O maestro que atende pelo nome de Danilo, maestro que é constantemente criticado por esse blogueiro, mas que cresce em jogos contra o seu ex-time, foi assim em 2010 (4x3), 2011 (5x0) e, agora, em 2012 (1x0). Danilo atuou na posição que mais lhe agrada e produziu o agradável para a equipe e torcida. O primeiro chute que levou perigo ao gol de Dennis saiu de seus pés, em uma linda jogada pelo lado esquerdo. No gol, se posicionou muito bem entre os zagueiros e subiu mais alto para testar firme para o fundo das redes. Sem duvida o maior destaque da partida.

Não posso esquecer do pequeno "grande" Jorge Henrique, o guerreiro. Aprontou muito em cima da zaga São Paulina: deu caneta, dribles ousados e arrumou a expulsão do perdido, João Felipi. O zagueiro não aguentou os dribles que levou do baixinho e lhe aplicou um rodo, o arbitro Raphael Claus não pensou duas vezes e levantou o vermelho. 


A expulsão veio em um momento delicado para o técnico Leão, que acabará de fazer três substituições ao mesmo tempo. Acredito que se não fosse a expulsão, o jogo ficaria equilibrado, pois o São Paulo mesmo com dez em campo passou a imprimir uma pequena pressão, mas o Timão se impôs, Julio Cesar praticou boa defesa em chute de Fernandinho e segurou o empate. 

Temos que ressaltar a primeira etapa do time alvinegro: não tomou conhecimento da equipe que melhor contratou na temporada e mostrou que não precisa fazer contratações, tem de ter vontade de jogar. 

Agora o próximo compromisso do Timão é a menina dos olhos, a Libertadores e a lista, tão esperada, já saiu, confira:


Goleiros: Júlio Cesar, Danilo Fernandes e Cássio
Laterais: Alessandro, Fábio Santos, Ramon e Welder
Zagueiros: Chicão, Leandro Castan, Paulo André e Wallace
Meias: Alex, Danilo, Douglas, Edenilson, Paulinho, Ralf e Ramirez
Atacantes: Adriano, Elton, Emerson Sheik, Jorge Henrique, Liédson, Willian e Gilsinho


Time Base: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Emerson Sheik e Liédson

E você, o que achou do jogo e da lista para a Libertadores? Deixe seu comentário!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O ALVO É A LIBERTADORES

E aí galera Apaixonada pela Libertadores! Opá, Libertadores não, Futebol!

É, mas é essa a única coisa que os jogadores do Corinthians conseguem enxergar: Libertadores, Libertadores, Libertadores, Libertadores, Libertadores, Libertadores...

A única coisa que pode fazer a equipe do Timão apresentar um futebol com garra, vontade, atitude, ambição e agredir o adversário com impeto é a Libertadores.

Isso ficou claro no empate dessa quarta-feira diante do Mogi Mirim, o Corinthians tinha tudo para aplicar um placar elástico sobre os donos da casa. No entanto, se contentou com a marcação de um gol, de penalti, e tentou administrar o resultado até o final. Mesmo com um jogador a mais (Edson Ramos, tirou o gol com a mão e foi expulso) durante mais de 75% da partida, o time de Parque São Jorge acreditou que venceria a qualquer momento.

O que se via em campo era uma equipe lenta, sem foco e displicente na missão da partida, missão essa que se resume apenas na vitória.

A lentidão do time atribuo ao estilo do capitão. Alessandro foi poupado e a incumbência de liderar a equipe ficou por conta do meia Danilo, que com a sua calma e lentidão contagiou os demais jogadores. A displicência fica por conta do marcador do gol, Emerson não jogou com seriedade, pecou em jogadas infantis e passes desnecessários.

Leandro Castan tentou colocar um gás nos demais jogadores, mas esforço em vão, todos sabemos que uma andorinha só, não faz verão. A torcida, por sua vez, procurou fazer a sua parte e incentivar os que jogavam. Tentativa sem exito! Quando dez não querem, 30 milhões se decepcionam!

O corpo está no Paulistão, mas a mente está na América! Não tem como fujir! Essa edição da Libertadores está sendo considerada como se fosse a ultima oportunidade para o Timão conquista-la. Tudo isso graças a impressa que coloca essa pressão psicológica e faz de tudo para promover a euforia entre os torcedores para vender mais.

O ponto forte dessa apelação psicológica é o fato do Timão ter mantido todos os principais jogadores. Quantos times que mantiveram seus elencos do ano anterior e não obtiveram exito nas disputas do ano em questão? Já vi vários! E a manutenção da equipe corintiana para essa edição está sendo encarada como uma obrigação de sucesso, obrigação de título!

A manutenção do grupo não fará a menor diferença se essa equipe não entrar com vontade, disposição, ambição, garra e, principalmente, equilíbrio emocional para vencer as adversidades na Libertadores.

E você, o que acha dessa obrigação imposta pela impressa? Deixe sua opinião!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

ANIVERSÁRIO DE NEYMAR, FESTA EM VERDE E BRANCO

E aí galera Apaixonada por Futebol!

A festa era de Neymar que completava seus 20 anos de idade, o Santos é considerado o melhor time do país na atualidade, Presidente Prudente era o palco para o gol de número 100 do aniversariante da tarde, tarde que era castigada pelo forte calor.
Foto: globoesporte.com
O jogo começa em marcha lenta, todos os jogadores tentam se poupar e evitar desgastes desnecessários, pois todos sabemos que o Paulista não é a menina dos olhos de nenhum dos clubes grandes, que disputam Copa do Brasil e Libertadores em paralelo.

Das arquibancadas se ouvia a torcida cantar o bom e velho parabéns para você.

O jogo não era tão bom, que aos quinze minutos de partida, Neymar vai a beira do gramado para trocar suas chuteiras. Será que era esse o problema? É, acho que sim! Neymar na seqüência troca passes com P. H. Ganso, o meia toca para Elano na entrada da grande área. O velho-menino da Vila, que tem sua permanência no elenco indefinida, chuta em diagonal para a boa defesa do goleiro Deola. 

O lance mexeu e acordou o Palmeiras, que em cobrança de falta, Marcos Assunção, sempre ele de falta, obriga Rafael a trabalhar e praticar bela defesa.

O jogo começou a ficar bom, o aniversariante começa a dar show e a defesa verde passa a para-lo com faltas duras. Mas o que chamaria a atenção antes do final do primeiro tempo, seria mais uma contusão do "craque" Valdivia. O jogador sentiu a coxa direita e deu lugar para a entrada de Daniel Carvalho. "Agora me digam por que o Felipão não ousou e colocou o Maikon Leite?"

Fim da primeira etapa e o bolo ficou para o segundo tempo. A festa ainda não estava bombando!

Em minha opinião, o Palmeiras voltou melhor e imprimia um melhor ritmo de jogo. Em duas oportunidades, Marcos Assunção teve a chance de marcar e o goleirão, que deve ir para as Olimpíadas, faz duas ótimas defesas. 

No entanto, o centésimo gol do homem estava próximo e saiu aos 24 minutos. Cruzamento de Ganso e linda cabeçada de Neymar, que só teve o trabalho de empurrar e comemorar. O atacante marcou seu gol de número 100 como profissional, que são distribuídos da seguinte forma: Pelo Santos, em 160 jogos marcou 82 gols; com o Brasil Sub-17, em 3 jogos 1 gol; Brasil Sub-20, em 7 jogos 9 gols e Brasil Principal, 15 jogos 8 gols (100 gols em 185 jogos).

Após o gol sofrido, Felipão aproveita para fazer uma substituição, que em minha opinião já se fazia necessária a muito tempo. No lugar de Luan entra o grande nome desse time, Maikon Leite entra e dá um novo ritmo ao time verde. 

Com a entrada de Maikon Leite, o Palmeiras, como sempre, jogou aguá no chopp santista e estragou a festa do "Pelezinho". Também se aproveitou da péssima exibição do arbitro  Luiz Flavio de Oliveira, que expulsou,injustamente, aos 42 minutos, o jogador Ibson. Pronto! Estava tudo armado e o Santos por sua vez, com muita displicencia, achou que o jogo já estava ganho e abusou dos erros. Neymar e Ganso tentavam fazer jogadas desnecessárias e fora de hora.

Aos 43, um minutos após a expulsão, Marcos Assunção cobra escanteio na cabeça de Fernandão, que testa para o fundo do gol. É o gol de empate! O rodado Fernandão chega ao seu terceiro gol com a camisa do verdão. Para quem não se lembra, o primeiro gol dele pelo Palmeiras, foi nesse mesmo estádio e sobre o Corinthians, em jogo valido pelo 19ª rodada do BRA-11.

Ainda tinha mais, e aos 47 minutos, Juninho tenta cruzamento rasteiro na área, Maranhão desvia para trás e faz contra! VIRA O PALMEIRAS!!!!!!!!!!!

Com a virada, o Palmeiras além de estragar a festa de Neymar (que saiu calado de campo), ganhou statos de m time em acensão, pois ouvi que as coisas estão mudando pelos lados da Academia de Futebol. Situação essa atribuída aos fatos ocorridos nos últimos dias: contratação de Barcos e do meia Wesley (ex-Santos), a parceria firmada com a Kia e a ótima vitória sobre o Santos. Alguns comentaristas apostam nas mudanças positivas no Verdão e você o que acha?

Será que o Palmeiras aspira melhores momentos nesse ano Apostólico para os palmeirenses?

Deixe seu comentário!