domingo, 15 de maio de 2011

SANTOS BICAMPEÃO PAULISTA 2010 - 2011

O palco estava armado na Vila Belmiro e não tinha lugar mais propício. As estrelas necessárias para que o "show" fosse iniciado entram em campo. Santos e Corinthians iniciam a partida e não havia vantagem numérica para nenhum dos lados, caso a partida terminasse com empate, teríamos penalidades máximas.

Mas o Santos tinha em campo não apenas 11 jogadores, e sim, 10 jogadores regidos por um maestro que atende pelo nome de Neymar. E Neymar mais dez tinham no banco um professor que modificou a maneira desse time jogar. Time antes contestado em seu setor defensivo, mas que a cada dia que passa se torna a melhor defesa do país. Nos últimos cinco jogos não havia sofrido nenhum gol, sofreu no momento que poderia sofrer e não se comprometer.

Bastava Neymar pegar na bola e vinha a mente a sensação que uma boa jogada ia acontecer, um passe, um drible e a finalização sempre trazia perigo ao gol de Julio Cesar. 

Neymar jogava por dois, pois o seu grande amigo estava fora, não pode participar da festa dentro de campo por conta de uma contusão. O garoto corria de um lado para o outro do campo e deixava a defesa do Timão atordoada, sem ação, procurando encontra-lo para desarmar. Mas temos que admitir, é difícil parar o moleque.

Enquanto todos se preocupavam com a movimentação de Neymar, se esqueciam de Zé Love, que deu trabalho a defesa do Timão. Ora pela direita, ora pela esquerda, mas raramente dentro da área, estranho para um jogador que veste a nove. Mas isso é detalhe!

No minuto de número 16 do primeiro tempo, Léo acha Zé Eduardo passando por entre os zagueiros pela esquerda. O atacante vai a linha de fundo, não sei se foi um cruzamento, mas a bola encontra Arouca na frente de Leandro Castan, que só desvia e marca o seu primeiro gol com a camisa do Santos. 

O Santos jogava muito mais, o Corinthians era mero coadjuvação e não dava nenhum indicio que ia atrapalhar a festa armada para o time praiano. Faltava tecnica, vontade e perna para correr atrás dos "cansados" meninos da vila. Ouvi tanto dizerem que o Corinthians tinha vantagem por estar mais descansados que o time santista. Por alguns minutos pensei que quem disputava a Libertadores e tinha voltado de uma viagem da Colômbia era o Corinthians. Apenas sonho!

O Santos teve mais oportunidades para acabar com o jogo logo no primeiro tempo. Se não fosse a trave a o preciosismo de Neymar, talvez, o Corinthians fosse para o intervalo já confirmado vice campeão. Mas tinha que ter drama e tudo ficou para o segundo tempo.

No segundo tempo o Santos assumiu outra proposta na partida, passou a descansar, não atacava, esperava o Corinthians e dava uma impressão que a alteração de Tite havia surtido efeito. No intervalo saiu Dentinho e entrou Willian. Mas era só impressão mesmo.

Quando o Santos tinha a bola nos pés, era a maior correria. Neymar continuava dando muito trabalho. 

No décimo quinto minuto de jogo no segundo tempo, o Corinthians levou perigo ao gol de Rafael. Como não conseguia penetrar na defesa santista o jeito foi chutar de fora da área. Willian arriscou e obrigou Rafael a fazer grande defesa, no rebote, ninguém para converte-lo em gol.

O jogo voltou a ficar frio, nada mais acontecia e o Corinthians lutava contra o tempo. O Timão sem criação, sofria. Tite no banco, mais uma vez não sabia o que fazia. Do minuto que o Willian chutou em gol até a substituição foram mais ou menos 6 minutos. Entraram Ramírez e Morais, sairam Paulinho e Bruno Cesar. Nada previsível?

Mas no espetaculo estava faltando alguma coisa. Alguém sabe dizer o que é?  Se alguém pensou em gol de Neymar, acertou.

E no minuto de número 38, em mais uma jogada pela esquerda, leva a marcação e alguns passos depois de passar a linha da grande área chuta. Chuta muito fraco, mas como o show era dele, Julio Cesar ajuda e engole um franco em caldeirão de peixe. Santos 2 a 0. A torcida começa a declarar: É Campeão!!

Mas tinha que ter um pouquinho de drama guardado para o final da partida. Morais cruza com a intenção de encontrar Liédson, mas a bola passa por todos e entra. Santos 2 a 1. 

O corintiano passa a sonhar pelo menos com as cobranças de pênalty, mas como eu já havia dito: o palco estava armado para a festa alvinegra da Vila Belmiro. O arbitro ainda dá mais três minutos de acréscimo, mas não foi suficiente para nenhum tipo de reação.

O Santos se torna Bicampeão Paulista com todos os meritos e agora vai para cima do título Continental.

0 Comentários:

Postar um comentário