sexta-feira, 13 de maio de 2011

COPA DO BRASIL: SEXTA-FEIRA 13 NO MORUMBI

Clube considerado por todos os jornalistas, comentaristas, narradores, críticos e apaixonados por futebol como um dos melhores do mundo. Time visto como padrão para todos os outros, onde problemas eram resolvidos dentro do vestiário. Equipe sempre ovacionada por sua torcida.

Isso tudo enquanto era uma equipe vencedora, que sempre estava disputando a ponta dos campeonatos em que participava. Mas o encanto acabou, desde 2008 não ganha títulos e não participou da edição desse ano da Libertadores da América. Competição na qual estava sempre disputando e conquistou pela última vez em 2005.

Mas todo casamento tem os seus momentos bons, momentos de tensão e momentos em que se pensa em separação, pois uma das partes não está cumprindo com o combinado.

O Tricolor Paulista chegou na terceira fase desse casamento, após a eliminação diante do Avaí, no Estádio da Ressacada. Todos os problemas acumulados embaixo do tapete foram descobertos e a poeira levantou.

Primeiro foi a derrota e eliminação justa para o Avaí na Ressacada.

Segundo foram as declarações de Rivaldo que disse: - 'Nunca fui tão humilhado. Aos 39 anos, não precisava passar por isso. Fui duas vezes para o aquecimento na esperança de entrar e ele (P. C. Carpegiani) não me colocou. Mereço respeito'.

Terceiro foram as declarações de Carpegiani sobre o que disse Rivaldo e deixando seu cargo a disposição da diretoria: - 'O Rivaldo faz parte do elenco e é opção minha escalar ou não. Mas é em um momento como esse que vemos o caráter das pessoas'.

Então essas ações não muito comuns no elenco Tricolor, respingaram sobre a torcida e trouxe decepção, raiva e fúria. O ônibus foi obrigado a sair da Ressacada sob forte escolta para evitar confrontos com a torcida que aguardava do lado de fora. A parte da torcida que estava em São Paulo, tratou de ir para a porta do Morumbi e exprimir sua raiva nos muros do Estádio com as seguintes frases: 'Carpegiane burro. Juvenal cachaceiro. Time mediocre'. 

O grande ídolo tricolor se abate traduzia o desânimo e não consegue passar nenhum tipo de energia positiva para o elenco nem torcida. Em suas declarações era evidente a decepção: -'É vergonhoso. Esquecemos de jogar, não fizemos nada em campo. Fomos fracos... Gostaria de enfiar minha cabeça em um buraco'.

Na tarde dessa sexta-feira 13, foi divulgada a demissão de Paulo Cesar Carpegiani e os dirigentes tricolores já estavam com seus aparelhos de celular no ouvido correndo atrás de Cuca (que confirmou a conversa), Dorival e Ney Franco para assumir a vaga. O desmanche no elenco é evidente. Nomes como os de Alex Silva, Miranda, Fernandão e Jr. Cesar, provavelmente, não serão mais ouvidos pelo centro de treinamento do São Paulo. Os três primeiros já estão confirmados, o último está sendo sondado pelo Flamengo.

As duras e injustas criticas da torcida tricolor acabaram respingando sobre o xodó Lucas. Está sendo chamado de novo Kaká. Pois, segundo o entendimento desses torcedores, pipocou quando o elenco mais precisava dele. O garoto se defende.

Isso tudo só serviu para evidenciar que todos os clubes são iguais, diante da falta de titulos, os problemas aparecerão. Não existe clube blindado contra uma possível crise.  O São Paulo sempre foi um time que esteve entre os primeiros de qualquer campeonato que disputasse. No entanto, de uns anos para cá, vem sofrendo com eliminações e falta de títulos. 

Com a segunda eliminação consecutiva é obvio que a torcida ia ficar irritada. Até o ano de 2008 as eliminações eram tratadas com aplausos, mas uma hora isso ia mudar e mudou.

1 Comentários:

  1. O time do sampa precisa manter seus treinadores..carpegiane ate´voltou mas quando a diretoria achar um treinador logo ele vai sair...

    Abraços!!!

    ResponderExcluir