quinta-feira, 14 de abril de 2011

PALMEIRAS COM GÁS NA COPA DO BRASIL

Kleber perde dois pênaltis, marca dois gols e leva o Palmeiras a vitória na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil. Com a vitória o Palmeiras chega ao seu décimo quinto jogo sem saber o que é derrota.

Antes de falarmos da partida, temos que dar destaque, tudo bem que negativo, ao estado do gramado do Estádio Bruno José Daniel. Horrível, esse é o melhor adjetivo para definir o gramado. Era nítido, até mesmo para quem acompanhava pela TV, que não havia condições de jogar naquele gramado. Conduzir a bola era quase impossível, quando havia alguma tentativa, a direção impressa pelo jogador não era obedecida. 

O Santo André forçou o jogo nesse gramado, tentando prejudicar o time alviverde, mas o feitiço virou-se contra o feiticeiro.

A partida começou com as duas equipes indo para o ataque, com cinco minutos o Santo André já havia arriscado quatro vezes em direção ao gol alviverde. O Palmeiras por sua vez, chegou, nesse mesmo tempo, apenas duas vezes. 

Mas a partir do décimo minuto de jogo, o Palmeiras assumiu as ações da partida e começou a aparecer o futebol de Valdivia. Que passa a se projetar mais ao ataque e a servir seus companheiros. Vendo o chileno jogar, parece que é fácil.

Com dribles simples, paciência e, principalmente, precisão na hora de dar o passe. O chileno passou a comandar as ações.

Até que no vigésimo minuto de jogo, em um passe magico, Valdivia serve o Gladiador, que tentou passar pelos dois marcadores, mas é derrubado. Pênalti!!!

Como na varzea, quem sofreu, bate. Então, Kleber pega a bola e vai para a marca da cal. Por conta do péssimo estado do gramado, com muita dificuldade, tenta colocar a bola na marca, onde não havia grama. Depois de muito custo, consegue. Corre para a bola, chuta e Neneca pratica bela defesa. No rebote, ele mesmo se lança na bola e marca o primeiro.

O gol deu mais tranqüilidade ao Palmeiras, que passa a tocar melhor a bola e não permitia que o Santo André se projetasse ao ataque. Valdivia continua a fazer seu show a parte e Kleber mostra que pode ser aproveitado na seleção.


Mano, presta atenção! Se levou Hulk, por que não levar o Kleber?

Mesmo com o domínio palmeirense, a posse de bola foi de 60% contra 40% do Santo André, o resultado ficou no 1 a 0 mesmo. 

O segundo tempo começou com seis minutos de atraso, por conta de uma confusão no lado de fora do estádio, os policiais enfrentaram um grupo de torcedores, que na tentativa de entrar lança uma bomba de lacrimogêneo. 

Partida reiniciada e o Palmeiras parecia que estava com sono e permitiu que o Santo André dominasse as ações até o décimo minuto, dando a entender que traria problemas para o Verdão. No entanto, o Palmeiras sai do efeito do gás e volta a jogar. 

Com Valdivia inspirado e dando até toques de letra, o Palmeiras foi para cima do fraco e praticamente rebaixado no Paulista. Mas Felipão não havia colocado em campo nenhum jogador de área e as jogadas saiam apenas pelas laterais. E foi da esquerda que saiu a jogada do segundo pênalti e mais uma vez dos pés de Valdivia, que lançou Luan. O atacante se joga na área e o juiz é ludibriado e marca o pênalti, que não existiu.

Como Kleber não tinha nada a ver com isso, não quis nem saber. Pegou a bola e com menos dificuldades que no primeiro tempo, dessa vez a marca da cal tinha mais grama. Ajeitou e bola, partiu, bateu e mais uma vez Neneca pratica ótima defesa e põe para escanteio. Tudo bem que quase foi nos pés de Kleber, pelo tanto que se adiantou, mas o juiz não mandou voltar.

Só que não adianta nada, o goleirão se matar para pegar o pênalti e na cobrança de escanteio, a defesa não fazer a sua parte. E foi isso que aconteceu. Marcos Assunção coloca a bola na cabeça de Thiago Heleno, Neneca faz outra boa defesa, a bola bate no travessão, resvala em Kleber e entra. Que azar de Neneca e que sorte de Kleber.

Isso tudo aconteceu aos 24 minutos do segundo tempo. 

Desordenado em campo, o Santo André não conseguia assustar o Palmeiras até os 35 minutos. Por que essa história mudou, o Santo André passou a jogar mais pelo lado direito e levou perigo ao gol de Deola. Em duas oportunidades, obrigou o goleirão a se esticar e praticar belas defesas.

Até que aos 43 minutos, o susto. Em cobrança de falta da intermediária, bola na área, a zaga palmeirense dorme e, bem atento, estava Anderson que marcou o gol da esperança para o time do ABC.

Com esse resultado o Palmeiras pode empatar ou perder a segunda partida por 1 a 0 que ainda assim se classifica. O resultado de 2 a 1 para o Santo André, leva a decisão para os pênaltis e se classifica com qualquer resultado (exceto os já citados) com diferença positiva de um gol.

As equipes voltam a campo nesse final de semana pela última rodada do Campeonato Paulista. O Palmeiras já está classificado, primeiro colocado e defende essa posição contra a Ponte Preta fora de casa. Já o Santo André precisa de um milagre para não ser rebaixado. Enfrenta o misto do Timão e, além de precisar vencer, torce contra seus oponentes.

1 Comentários:

  1. desse jeito a copa do brasil eh do verdao

    ResponderExcluir