terça-feira, 7 de junho de 2011

RONALDO: A ÚLTIMA VOLTA

Noite fria, quinze graus apenas, chuva forte, muito vento e transito por toda a cidade de São Paulo pareciam querer estragar a festa preparada para o Fenômeno Ronaldo, no Pacaembu. Local que foi sua casa nos últimos dois anos, marcou 23 gols e também levantou uma Taça de Campeão Paulista Invicto de 2009 pelo Corinthians.

Sem dúvida, o lugar no Brasil que mais lhe proporcionou alegrias.

E nessa noite o prazer foi todo nosso. Ronaldo, muito obrigado por nos proporcionar mais quinze minutos de alegria com o seu futebol. Mesmo perdendo três chances claras de gol, mas ele tem créditos para gastar.

Tantas e tantas voltas deu em sua vida para vencer situações adversas, mas dessa vez a volta foi para receber as honras de uma carreira construída sobre muitas dificuldades. Voltas dadas com muita habilidade sobre oito lesões, onde o mundo diagnosticava o fim de sua carreira. Mas não se intimidou e provou que é guerreiro e retribuiu esses diagnósticos com muito futebol e títulos.

A Seleção Brasileira entra em campo para disputar um jogo amistoso contra a Romênia. A torcida chegava aos poucos por conta dos problemas pós-chuva em São Paulo.

O Brasil jogava contra a desconfiança e insatisfação do torcedor, mas os problemas ficaram em segundo plano por conta do espetáculo mais aguardado. A despedida!

Pressão do Brasil para cima dos romenos e antes do momento mais esperado da noite, os presentes ao Pacaembu e que acompanhavam em casa (se não faltou energia elétrica) viram uma boa movimentação do ataque. Composto por Neymar mais aberto pela direita, Fred centralizado, Robinho pela esquerda e Jadson na articulação, que deram muito mais volume de jogo.

As chances foram aparecendo, mas os torcedores não estavam tão preocupados com o jogo. O grande barato da noite era a despedida do homem.

Antes do ápice da partida, o arbitro deixou de assinalar pênalti claro sobre Jadson e marcou falta. Na excussão da jogada, Fred chuta longe do gol. O atacante corria contra o tempo para mostrar serviço ao Mano e garantir vaga na Copa América.

Neymar ainda teve grande oportunidade, mas isolou a bola e perdeu. Aos 15 minutos de partida, a rede Globo lançou no telão imagens do vestiário, onde Ronaldo se preparava para entrar. Vendo o grande ídolo, a torcida começou a gritar: “Ronaldo, Ronaldo, Ronaldo!” “O Ronaldo vem ai e o bicho vai pegar”.

Fred vendo que seu tempo estava se esgotando, passou a se infiltrar mais na área e pedir a bola. Até que seu esforço foi premiado, nove minutos antes de sua substituição. Belo passe de Jadson para Neymar, que tira o zagueiro e toca para Fred empurrar para dentro do gol. Na comemoração, não podia ser diferente, homenagem ao “cara”.

Pronto! Tudo certo! Agora o Fenômeno pode entrar e assumir a festa!

Aos 28 minutos, Ronaldo surge no túnel e os 30.059 apaixonados por futebol e admiradores foram ao delírio. Nesses dois minutos que permaneceu a beira do gramado, a galera era pura euforia.

Trinta minutos. Sobem as placas: sai o 19 (Fred) e entre o R9. Antes de pisar o pé fora do gramado, Fred reverencia o ídolo e o deixa entrar sobre fortes aplausos.

Ronaldo em campo e os dez jogadores brasileiros passaram a jogar em função do craque. Bola em domínio dos brasileiros! Cadê Ronaldo! Todos procuravam.

Sentindo-se muito à vontade com a amarelinha, não demorou muito para que se encontrar na partida. Toda bola que passava pelos seus pés era acompanhada com a vibração da torcida.

No minuto de número trinta e cinco, creio que o Brasil inteiro lamentou a chance perdida. Bola para Neymar que com um passe por baixo das pernas do marcador e encontra Ronaldo livre de marcação. Na finalização com um toque sutil, tenta tirar o goleiro Tatarusanu, que pratica ótima defesa.

Ronaldo estava muito bem em campo e aos 39 minutos, mais uma bola para o craque. Robinho e Neymar tabelam, bola na esquerda para Ronaldo, que conclui mal e perde mais uma boa chance. Todos queriam a consagração do craque com um gol.

Antes do fim do jogo e de sua história com a seleção, Ronaldo teve mais uma boa oportunidade. Ele mesmo aciona Neymar pela direita, o “sucessor” retorna a bola para o “mestre”, que chuta cruzado, mas o goleirão estava a fim de entrar para história as custas de Ronaldo. Mais uma bela defesa.

Quarenta e sete minutos do primeiro tempo, o juiz apita o fim da primeira etapa e o ciclo de Ronaldo com a seleção Canarinho.

Antes de seu discurso, deu sou última volta como jogador. Ao redor do campo, garotos seguravam banners com informação sobre os gols marcados em Copa do Mundo.
1º Gol – 16 de junho de 1998 – Contra o Marrocos
2º e 3º Gols – 27 de junho de 1998 – Contra o Chile
4º Gol – 07 de julho de 1998 – Contra os Países Baixos
5º Gol – 03 de junho de 2002 – Contra a Turquia
6º Gol – 08 de junho de 2002 – Contra a China
7º e 8º Gols – 13 de junho de 2002 – Contra a Costa Rica
9º Gol – 17 de junho de 2002 – Contra a Bélgica
10º Gol – 26 de junho de 2002 – Contra a Turquia
11º e 12º Gols – 30 de junho de 2002 – Contra a Alemanha
13º e 14º Gols – 22 de junho de 2006 – Contra o Japão
15º Gol – 27 de junho de 2006 – Contra Gana.

Em seu discurso passou a bola, a responsabilidade de seu sucesso para todos os Brasileiros e admiradores. Foi mais uma vez humilde em pedir desculpas por perder três chances claras de gol e deixou o Brasil engrandecido com suas palavras: “Gente, vocês são demais!”

Tivemos a era Pelé, pós Pelé; era Romário, pós Romário; era Ronaldo e agora passaremos para uma nova era, pós Ronaldo.

ERA PÓS RONALDO
Voltando para o segundo tempo, em uma nova era. A seleção não empolgou como nos quinze minutos em que Ronaldo estava no gramado. Os romenos buscavam o empate, tocava bem a bola, mas na conclusão a gol não eram perigosos.

Já os brasileiros chegavam, mas abusavam em perder oportunidades e deixaram os números do primeiro tempo. Brasil 1 x 0 Romênia.

Era nítida a falta que um homem de armação. Pensando nisso, Mano Menezes convocou para a Copa América, mesmo voltando de contusão, Paulo Henrique “Ganso”.

Falando em convocação, vamos ver os “manos do Mano!”:

Goleiros: Julio César (Inter de Milão) e Victor (Grêmio)
Laterais Dir: Daniel Alves (Barcelona) e Maicon (Inter de Milão)
Laterais Esq: André Santos (Fenerbahçe) e Adriano (Barcelona)
Zagueiros: David Luiz (Chelsea), Lúcio (Inter de Milão), Luisão (Benfica) e Thiago Silva (Milan)
Volantes: Ramires (Chelsea), Lucas Leiva (Liverpool) e Sandro (Tottenham)
Meias: Elano (Santos), Elias (Atlético de Madri), Ganso (Santos), Jadson (Shakhtar Donetsk) e Lucas (São Paulo)
Atacantes: Fred (Fluminense), Pato (Milan), Neymar (Santos) e Robinho (Milan)

O Brasil estréia no dia 03/07 às 16hs, na Ciudad de la Plata, contra a Seleção da Venezuela.

0 Comentários:

Postar um comentário