sábado, 12 de janeiro de 2013

Sem reforços, Kleina sofre até para fazer um coletivo no Verdão

Treinador está insatisfeito com a falta de reforços e critica a diretoria. Faltam opções para montar dois times e técnico vai ter de improvisar.

O técnico Gilson Kleina já tem trabalho no início da temporada no Palmeiras. Problemas não faltam: só dois reforços contratados e a diretoria tem dificuldade em trazer novos jogadores. Como resultado, o treinador não tem nem dois times completos para realizar um coletivo. E tal problema só faz crescer a irritação.

Sempre calmo e tranquilo, Kleina não elevou o tom de voz em nenhum momento da entrevista coletiva ontem de manhã, na Academia de Futebol. Mas a insatisfação estava clara. A bronca sobrou até para Valdivia, que se reapresentou atrasado.

O Verdão começou a pré-temporada com 24 atletas. O zagueiro Marcos Vinícius teve de ser chamado às pressas do time B. O problema é que o grupo é composto por quatro goleiros. Se não bastasse, o lateral-esquerdo Fernandinho e o meia Tiago Real se recuperam de lesão. Ou seja, apenas 20 jogadores estão à disposição para formar duas equipes.

Para piorar ainda mais, existe uma grande defasagem de peças em algumas posições. Enquanto seis atacantes e cinco volantes participam dos treinos, o treinador conta apenas com três zagueiros, um lateral-direito e outro lateral-esquerdo.

Assim, uma alternativa vai ser improvisar. O atacante Luan já se mostrou disposto a atuar na lateral esquerda caso seja necessário. Já Wendel pode ficar na direita.

– Quando começamos a fazer esse planejamento para 2013, para mim foi surpresa fazer muitas mudanças e não contratarmos quase ninguém. Fico muito feliz com Fernando Prass e Ayrton. Preciso enaltecer a entrega, o profissionalismo desse grupo. É enxuto, mas está fazendo tudo aquilo que foi programado. Entendemos que temos uma base muito boa – afirmou o comandante palmeirense.

– Quero enaltecer a qualidade dos jogadores que ficaram, mas o futebol atualmente precisa de elenco e reposição. Temos setores carentes, sem reposição. Temos o risco de iniciar essa temporada improvisando, e isso não é o correto – completou.

O Palmeiras sofreu com a falta de opções no fim do ano passado no Brasileirão. O resultado todo mundo sabe qual foi. Kleina não quer repetir isso. Mas precisa dos reforços.

PALAVRA DA DIRETORIA:
"Estamos trabalhando para trazer reforços. Temos o início do Paulista, com uma sequência de jogos a cada três, quatro dias. Tendo só dois zagueiros no elenco e com o início da Libertadores em fevereiro, é algo arriscado. É fundamental ter um revezamento. A gente espera trazer os jogadores o mais rapidamente possível", César Sampaio, gerente de futebol

PACIÊNCIA PERTO DO FIM:
Técnico fez lista com seis reforços
Logo após o rebaixamento, o LANCE!Net mostrou em 22 de novembro de 2012 que Gilson Kleina passou uma lista com seis nomes para a diretoria. Eram nomes “para chegar e jogar”. Ayrton, já contratado, não fazia parte dela. Quase dois meses dois, só Fernando Prass chegou ao Verdão. O técnico segue esperando para ter mais opções no grupo

Kleina cobra mais atitude da direção
No dia 3 de dezembro, o L!Net fez uma matéria mostrando que a paciência do treinador já não era das maiores. Kleina parecia repetir Luiz Felipe Scolari, ex-técnico do Verdão, no discurso de cobrança à diretoria. Pediu mais atitude nas contratações. E destacou a falta de dinheiro alertada pelos diretores. “Estamos fazendo contas”, afirmou..

Cabeça quente antes do Ano Novo
Em meio às férias, o L!Net falou em 27/12 com Kleina, que admitiu estar refazendo o planejamento por conta da falta dos reforços desejados. Com dois zagueiros, ele destacou a urgência no setor. “Vamos precisar de um pouco de paciência”, destacou no fim do ano. Na sexta-feira, em sua primeira entrevista coletiva de 2013, ele disparou de vez...

Fonte: lancenet

0 Comentários:

Postar um comentário