quinta-feira, 14 de junho de 2012

CORINTHIANS! UM PASSO PARA FINAL INÉDITA!

E aí galera Apaixonada por Futebol!

O Corinthians deu um passo gigante para a conquista da vaga inédita na final da Taça Libertadores da América. Com golaço de Emerson, ótima atuação de Cássio e uma partida “quase” perfeita, o time de Parque São Jorge venceu pelo placar mínimo a badalada equipe do Santos.
Não adiantou a torcida estourar rojões a madrugada inteira e impedir o descanso dos corintianos no hotel. Não adiantou o esforço de colocar PH Ganso em condições de jogo. Neymar não foi nem sombra do Neymar que aparece em grandes decisões. O fator campo / torcida (ponto forte desse ano) não foi determinante a favor do Santos nessa partida, pois quem comemorou foi a torcida visitante (apenas 600 torcedores corintianos).

As maiores expectativas estavam direcionadas para um camisa 11, Neymar, que tinha tudo para desequilibrar nessa partida e mais uma vez decepcionou, foi anulado. Fato que se tornou comum nos últimos três jogos do craque: dois pela seleção e um pelo Santos. O craque sumiu contra o México, Argentina e contra o Timão! Bom para o Corinthians!

O setor defensivo do Corinthians foi absoluto mais uma vez e não deu espaços para os atacantes do Santos. Com a proposta de marcar por setor, o Timão anulou totalmente os meninos da Vila na Vila. A solidariedade defensiva dos jogadores de meio e “ataque” foi do tamanho do clube, grande e impressionante. Todos, sem exceção, defendiam e quando ficou com um a menos esse esforço foi multiplicado por dois.

Na primeira etapa os donos da casa pareciam estar com o freio de mão puxado. Erravam muitos passes no ataque e o goleiro Cássio foi um mero espectador. Já na etapa final, nas raras vezes que o setor ofensivo conseguiu superar os marcadores do Timão, Cássio foi perfeito nas saídas em bolas alçadas e em lances de perigo. Destaque para as ótimas defesas em cabeçada de Borges e em chute de Juan.

O Timão só não foi perfeito por conta de um detalhe: o poder ofensivo fica prejudicado pela falta de um centroavante de origem e pela fase que o meia Alex está passando, hoje é sombra de Danilo. Não tenho duvidas que seja um ótimo jogador e decisivo, mas, principalmente, no jogo dessa quarta-feira ficou (e está) muito abaixo do que pode produzir. Errou passes que não costuma errar e comprometeu em alguns lances em que perdeu a bola no meio campo proporcionando alguns contra ataque, que a defesa corintiana impediu.

Com o sumiço de Neymar, outro camisa 11 foi o grande destaque do jogo. Emerson Sheik, aos 27 minutos do primeiro tempo, em mais uma ótima jogada de Alessandro e Paulinho. O volante arrancou pelo meio, recebeu ótimo passe (nas costas de Arouca) de Alessandro, avançou sozinho e fez bela assistência para Emerson. Sozinho na área, o camisa 11 ajeitou para a direita, olhou e bateu colocado, golaço, no ângulo de Rafael.

Sua participação só não foi excelente, pois o atacante, por excesso de vontade levou dois cartões amarelos (infantis) e foi expulso. Com isso, desfalcará a equipe na partida decisiva no Pacaembu.

Para o jogo de volta, Tite terá a dura missão de arrumar um substituto. Acredito que Willian seja a melhor opção para manter a mesma formação, mas não seria nada ruim optar por Liedson (mesmo em má fase).

A partida contou com uma péssima arbitragem que pipocou quando deveria expulsar Neymar por entrada dura em Leandro Castan. A torcida santista foi pequena ao jogar objetos em direção do goleiro Cássio, até o capacete de um policial entrou na história.

E o fato que para mim é inaceitável: Quando Alex partia em direção ao gol (podendo fazer o segundo), alguém, sim, alguém apagou os refletores. Coincidência? Para mim não!

Mas com todos esses imprevistos a noite não foi do alvinegro praiano, que sucumbiu à melhor defesa da competição.

Para calar a boca do jornalista Odir Cunha que menosprezou o Timão em seu blog:
“Acordei tranqüilo, otimista. Penso no jogo desta noite e só me vêem imagens boas na cabeça. Vejo Elano acertando suas cobranças de falta, Alan Kardec infernizando a defesa adversária, Neymar inspirado e objetivo como nunca, Arouca penetrando de surpresa pelo meio, Edu Dracena acertando uma cabeçada decisiva... Sinto que neste duelo tão aguardado pela semifinal da Libertadores, a Vila Belmiro viverá uma de suas noites históricas mais felizes. O time que joga para o gol – e por isso tem os deuses do futebol ao seu lado – mais uma vez construirá um grande momento do esporte.”

0 Comentários:

Postar um comentário