domingo, 8 de abril de 2012

TIMÃO 1 x 0 PAULISTA

E aí galera Apaixonada por Futebol!


A Falta de tempo está me deixando em maus lenções, não estou conseguindo assistir aos jogos e me vejo na situação de transmitir postagens de outros blogueiros e jornalistas. Hoje a matéria é de um jornalista muito conhecido e polemico, Mauro Beting escreveu em sua pagina no Lancenet e estou compartilhando com vocês. Boa Leitura!
Vitória de Libertadores do Corinthians. Vontade e aplicação desde o início, e gol no fim de Willian. Merecia mais que o 1 a 0, mas teve tranquilidade em campo e na arquibancada para mais uma vez fazer o dever de casa.
Tite trocou novamente os nomes, mas manteve os números táticos que são os mesmos desde Mano: um 4-2-3-1 com meias que se mexem bem. E que, aos 30 minutos, quase sempre mudam de lugar. Willian começou pela esquerda e teve duas das três chances corintianas no primeiro tempo. 
Ramirez iniciou aberto pela direita e foi caindo pelo meio, trocando de função com Danilo. Os primeiros 10 minutos foram corintianos. Os 10 minutos seguintes foram do Paulista. Os 25 restantes foram iguais. Luiz Carlos Martins prendeu um pouco mais Bruno Formigoni e fechou mais o meio-campo, liberando Dener e Chiquinho para encontrar a velocidade de Richely. O Paulista acabou chegando mais, enquanto o Corinthians errava passes e perdia força.
No segundo tempo, Tite voltou com Willian pela esquerda para cima de Samuel Xavier, avançou Danilo por dentro para encostar em Liedson, soltou um pouco mais Paulinho e os laterais. O Paulista não manteve a mesma força na marcação e, a rigor, só foi ter uma chance depois de levar o gol de Willian, aos 34 do segundo tempo, em belo cruzamento-passe de Fábio Santos no primeiro pau para o atacante marcar seu terceiro gol de cabeça pelo Corinthians em dois anos.
O Timão só não fez mais nas 11 chances que teve em 90 minutos pela ótima atuação de Wagner, mais uma boa revelação de goleiro lançada pelo Paulista nos últimos 10 anos. Mas não suficiente para segurar um Corinthians eficiente e que, desta vez, merecia mais que o placar magro no Pacaembu. A oitava vitória por um a zero em 2012.

0 Comentários:

Postar um comentário