domingo, 22 de abril de 2012

PEQUENO? QUEM É PEQUENO AGORA?

E aí galera Apaixonada por Futebol!

Os resultados dos jogos entre Corinthians e Ponte Preta e Guarani contra o Palmeiras vem para calar a boca de críticos de futebol que passaram a primeira fase criticando e falando que os "pequenos" não tinham futebol para bater de frente aos grandes.

O que se viu no Pacaembu e no Brinco de Ouro da Princesa prova que no futebol não há mais time bobo e todos que chegam a uma fase em que se decide em apenas um jogo tem as mesmas chances que os ditos grandes.

O Corinthians foi a campo com ares de classificação antecipada, mas esqueceram de avisar a Ponte Preta que não era para engrossar para cima do favorito ao título. Com isso a Macaca aprontou para cima do time frio e equilibrado e que dificilmente sofria gols. 


Julio Cesar com duas falhas foi o destaque negativo da partida. Primeiro, ele errou o tempo de bola no gol de falta de Willian Magrão. Depois, ao cobrar tiro de meta, chutou a bola nas costas de Leandro Castán e permitiu o gol de Rodrigo Pimpão. Falhas fatais para a eliminação.

Pelo lado ponte-pretano, tenho que destacar a maneira que o técnico Gilson Kleina armou seu time e amarrou as ações do Timão que no primeiro tempo não fez nada. Com uma marcação individual, os jogadores campineiros tiravam todas as possibilidades do Timão criar ou chegar próximo ao gol para tentar a marcação de um tento. 

O atacante Roger também foi destaque. Oportunista e isolado no ataque, deu trabalho à defesa do Corinthians. Marcou o segundo gol ao se antecipar ao zagueiro Leandro Castán.

Com a missão de marcar cumprida, o gol era uma questão de tempo e no primeiro tempo saíram dois o que deu tranquilidade para administrar no segundo tempo.

Mesmo a Ponte diminuindo o ritmo, o Timão não conseguia chegar e só foi marcar o primeiro gol após a terceira substituição. Willian entrou e marcou, dando folego ao Timão.

Em mais um contragolpe, a Ponte fez o seu terceiro gol na partida, com Rodrigo Pimpão, que acabará de entrar. Ele chutou na saída atabalhoada de Julio Cesar, fazendo 3 a 1. Logo na saída de bola, o Corinthians voltou a sonha com a semi. Alex marcou. Castan virou atacante, mas não impediu a derrota para a Ponte.

A Libertadores da América não é mais ambição e sim OBRIGAÇÃO!

Os palmeirenses comemoraram a eliminação de seu arquirrival, mas a alegria durou pouco, pois o outro "pequeno" de Campinas aprontou e desclassificou o Verdão.

O time da Capital entrou em campo sob certa desconfiança, pois nos últimos jogos não vinha apresentando o futebol que lhe rendeu o favoritismo ao título no início do ano.

Com um primeiro tempo truncado e de pouco futebol, com ligeira vantagem palmeirense, os times foram para o vestiarios sem movimentar o placar.

No primeiro tempo o Palmeiras mostrou que corrigiu os problemas que o fizeram sair derrotado na primeira fase e até fez o suficiente para dominar o jogo, no segundo, o time voltou a falhar na bola aérea e na marcação pelas laterais. O resultado é a eliminação do time de Luiz Felipe Scolari, que agora só tem a Copa do Brasil para se preocupar até o início do Campeonato Brasileiro. 

Podemos destacar dois nomes pelo lado verde de Campinas. Fumagalli, dono da bola parada, o jogador levava perigo em todas as suas intervenções. Ele ainda fez gol olímpico. Fabinho Souza, o jogador aparecia em todas as jogadas do Guarani de ataque e marcou dois gols na vitória.

Pelo lado verde da Capital, não poderia ser diferente do Timão que teve seu goleiro como destaque negativo. Deola tomou o gol olímpico e ainda falhou na hora em que o Palmeiras buscava o empate.

Agora o Verdão tem a Copa do Brasil para salvar o primeiro semestre.


Os "grandes" Guarani e Ponte Preta farão o derby de Campinas na semi-final.

0 Comentários:

Postar um comentário