domingo, 28 de abril de 2019

NEYMAR, vai para a JUVENTUS!

E aí galera apaixonada por futebol!

Neymar voltou e já mostrou a que veio.
PSG vai à final da Copa da França, enfrenta adversário de pouca expressão (como a grande maioria dos times franceses), é derrotado nos pênaltis após início promissor onde vencia o Rennes por 2 a 0, ceder o empate e não ter competência para vencer na prorrogação.

Mas esse capítulo não é o principal dessa história melancólica para os amantes do futebol.

O protagonista, Neymar, além das encenações dentro de campo, fora dele ao ser afrontado por um torcedor (disse que o atleta precisava aprender a jogar futebol), confrontou e desferiu um soco atingindo o rosto do rapaz.

Não bastasse isso, na zona mista deu a seguinte declaração alfinetando seus companheiros: "Tem que ser mais homem no vestiário. Vejo que tem muito jovem que falta mais ouvido do que boca. Eles têm que escutar mais do que falar. Às vezes um cara mais experiente fala e eles retrucam. O treinador fala e eles retrucam. Isso não é time que vai longe, que vai ter sorte no final. A gente sempre acaba pecando nisso. Temos que administrar isso. Eles (jovens) mais do que nos, porque temos um pouquinho mais de bagagem. Eles têm que escutar e respeitar um pouco mais".

Antes de mais nada quero deixar claro que sou extremamente fã do FUTEBOL que Neymar apresenta dentro de campo quando quer. Tanto que fez um ótima partida, deu assistência para Daniel Alves marcar o primeiro gol, marcou um golaço e converteu sua cobrança na disputa de pênaltis.

Mas essas atitudes minam e desidratam sua imagem diante de torcedores, companheiros, adversários, técnicos e árbitros. Estamos pegando ranço dele.

Sobre o soco, para mim a FIFA deveria entrar na parada e punir com rigor, pelo menos 1 ano (a federação francesa pode punir por até 8 jogos) - em janeiro de 1995, Cantona, jogador do Manchester United, acertou uma voadora em um torcedor e levou uma punição de 8 meses aplicada pelo clube em conjunto com a federação inglesa.

Um jogador profissional e "experiente", como se intitula em sua declaração, não pode se deixar levar por uma provocação infantil como essa. O torcedor tem o direito de cobrar e exigir mais empenho e dedicação do atleta. O futebol é um produto que pagamos para consumir.

Neymar não tem habilitação para requerer de seus companheiros aquilo que ele não foi: humilde e respeitoso aos mais experientes. Me lembro das sábias palavras do profeta Rene Simões: "Está na hora de alguém educar esse rapaz, ou vamos criar um monstro. Estamos criando um monstro no futebol brasileiro". - 15 de setembro de 2010.

Quando se transferiu ao Barcelona, afirmei que era melhor que fosse para o Real Madrid. No entanto, a ida ao clube catalão fez bem a ele. Em minha opinião foi a melhor fase como jogador e pessoa. Acredito que os jogadores que ali estavam colocavam um "cabresto" nele e impediam que fizesse e falasse besteiras. Poderia voltar, mas...

...agora seria uma ótima oportunidade para aprender com um tal de CR7 a ser um profissional melhor.

Neymar, vai para Juventus!

1 Comentários: